11-21Novembro SalvadorCachoeiraBahiaBrasil

Governo da Bahia e Ministério da Cultura apresentam:
xiv Panorama Internacional Coisa de Cinema

Comissão de seleção

Marília Hughes / Camila Gregório / Vânia Dias / Cláudio Marques / Rafael Saraiva / Rafael Carvalho / João Paulo Barreto

Curadoria de longas e curtas nacionais e curtas internacionais

Marília Hughes é graduada em Psicologia pela Universidade Federal da Bahia e mestre em Comunicação e Cultura Contemporâneas pela UFBA/PósCom. Sócia da empresa Coisa de Cinema onde trabalha desde 2006 como diretora, produtora e editora. Marília realizou diversos curtas premiados e, desde 2007, é produtora geral do Panorama Internacional Coisa de Cinema. Dirigiu os filmes “Depois da Chuva” e “A Cidade do futuro”, ambos com longas carreiras de circulação e premiação nacional e internacional. “Guerra de Algodão”, seu terceiro trabalho de longa-metragem, estreou no segundo semestre de 2018 no Festival Internacional de Cinema de Montreal.

Competição de filmes baianos e curtas nacionais; Curadoria da programação de Cachoeira

Camila Gregório, realizadora de cinema baiana, é fundadora da Tribuzana Filmes e integra o Coletivo Feito a Facão. Em 2017, ela dirigiu os curtas-metragens “Fervendo” e “admin/admin”. Além de diretora, Camila é roteirista, produtora e curadora.

Competição de filmes baianos e curtas nacionais

Vânia Dias integra a equipe da TV Pública da Bahia como apresentadora e repórter do Soterópolis. Como comunicadora negra, Vânia fortalece a diversidade estética no telejornalismo baiano. Em 2018, em dissertação de mestrado, na Universidade Federal da Bahia, dedicou-se ao tema das trabalhadoras domésticas brasileiras em articulação com as imagens construídas pelo cinema brasileiro contemporâneo. A partir da edição 2018, integra também a equipe de curadoria do Panorama Internacional Coisa de Cinema.

Curadoria de longas nacionais e internacionais

Cláudio Marques foi editor e crítico do Jornal Coisa de Cinema durante oito anos (1995-2003). Colaborou para os jornais Tribuna da Bahia e A Tarde. Responsável pela programação da Sala Walter da Silveira (2007-2009), idealizou e hoje é o principal coordenador do Espaço Itaú de Cinema – Glauber Rocha. Dirigiu os filmes “Depois da Chuva” e “A Cidade do futuro”, ambos com longas carreiras de circulação e premiação nacional e internacional. “Guerra de Algodão”, seu terceiro trabalho de longa-metragem, estreou no segundo semestre de 2018 no Festival Internacional de Cinema de Montreal.

Competição de filmes baianos e curtas nacionais e internacionais

Mesmo graduado em Ciência da Computação, motivou-se a seguir carreira na área do audiovisual. Desde a oitava edição do festival, faz parte da sua equipe de curadoria. Também participa do Cineclube Animassa e Cineclube Glauber Rocha, projetos dedicados ao cineclubismo, além da mostra de cinema Cine Horror.

Competição de filmes baianos e curtas nacionais e internacionais

Membro da Associação Brasileira de Críticos de Cinema (Abraccine), escreve para o Jornal A Tarde e é editor do site Moviola Digital. Doutor em Comunicação e Cultura Contemporâneas pela Universidade Federal da Bahia, desenvolve pesquisa sobre a crítica de cinema online no Brasil. Atualmente é professor do curso de Jornalismo e Multimeios da Universidade do Estado da Bahia (UNEB). Integra a equipe de curadoria do Panorama Internacional Coisa de Cinema e do projeto universitário CineFacom, na UFBA, onde também faz parte do Grupo de Pesquisa Recepção e Crítica da Imagem (Grim).

Competição de filmes baianos e curtas nacionais e internacionais

Jornalista, teve sua graduação voltada para a análise e pesquisa fílmica das obras de Martin Scorsese e Fernando Meirelles. Atualmente, trabalha como curador e crítico de cinema. Desde 2012, é membro da equipe de seleção do Panorama Internacional Coisa de Cinema. Colabora como crítico e colunista de cinema para o Jornal A Tarde, como repórter para a versão on line da Revista Continente,  e assina o blog Película Virtual. Participou de diversas oficinas de crítica e análise cinematográfica com profissionais como Jean-Michel Frodon (Le Monde e Cahiers Du Cinéma), João Carlos Sampaio (A Tarde), Sérgio Rizzo (O Globo). Membro da Associação Brasileira de Críticos de Cinema (Abraccine), é um dos autores do livro Animação Brasileira – 100 Filmes Essenciais, organizado pela associação.