Oficina de Escrita Crítica

Heitor Augusto

Praticar a escrita crítica é um exercício do olhar, alimentado por sensibilidades de ordem estética, política e histórica. Remonta a maneiras de se colocar frente a um filme: respeitar o que ele quer dizer (por meio de suas escolhas formais e temáticas), comunicar-se com ele, estabelecer uma conexão intelectual e afetiva, mas sem abdicar do espírito crítico, do embate. Um gesto que implica posicionamento, afeto, intensidade, desnudamento, frontalidade, cinefilia, repertório.

Esse tipo de abordagem que será praticada na Oficina de Crítica do XII Panorama Coisa de Cinema, este ano sob coordenação e orientação pedagógica do crítico de cinema, pesquisador e jornalista Heitor Augusto.

A oficina se desenvolverá em duas etapas. A primeira será constituída de quatro encontros, nos quais a turma tomará contato com discussões que envolvem a escrita crítica de cinema a partir de textos clássicos e contemporâneos, teóricos ou escritos no calor da hora para lidar com a produção do hoje, com foco na nacional.
Na segunda etapa os oficineiros partirão para o exercício da escrita crítica sobre os filmes em exibição no XII Panorama Coisa de Cinema. Produzidos sob orientação de Heitor Augusto paralelamente à duração do festival, os textos serão publicados no blog Pílulas Críticas, que reúne o material produzido pela oficina desde 2013 – anteriormente sobre coordenação de Rafael Carvalho e de João Carlos Sampaio.

Heitor Augusto

Heitor Augusto é crítico de cinema, pesquisador e jornalista. Um dos oito selecionados para o Berlinale Talent Press, programa do Festival de Berlim para jovens críticos. Tem textos publicados em revistas eletrônicas de crítica – Interlúdio, ]Janela[, Cinequanon, Zingu – e em veículos da mídia impressa – Valor Econômico, Preview, Caros Amigos, Monet –, além de catálogos de mostras de cinema – Hitchcock é o Cinema, Quentin Tarantino – O Mestre do Caos, Cinema Belga Contemporâneo. É autor também do ensaio sobre Alma Corsária, publicado em 100 Melhores Filmes Brasileiros (2016), livro organizado pela Abraccine. Pesquisa o cinema Blaxploitation e relações raciais no cinema brasileiro.
Ministrou os cursos Blaxploitation e o Cinema Negro nos EUA, Cinema Americano – Anos 70, O Som ao Redor – Cinema Pernambucano, Historiografia do Cinema Brasileiro, Multiplicidades do Cinema Africano, entre outros. Coordena desde 2015 o Janela Crítica, oficina que acontece durante o Janela Internacional de Cinema do Recife, além de ter ministrado workshops no mesmo formato em espaços como o Festival Internacional de Curtas-metragens de São Paulo – Curta Kinoforum (2013 a 2015) e Perro Loco – Festival de Cinema Universitário Latino-americano. Curador da 14ª Mostra ABD Cine Goiás, do FICA. Foi um dos curadores do MIMO – Festival de Cinema e Música entre 2013 e 2015. Mantém o blog Urso de Lata (www.ursodelata.com).

Selecionados:

Alex França
Angel Marques
Camila Góes
Chico Vila Flor
George Diniz Teixeira
Hugo Mansur
Jacson Ornelas
Jessica Andrade
Julia Morais
Larissa Santos de Andrade
Dino Lucas Castro Galeazzi.
Letícia Moreira
Priscila Rodrigues
Scarlet Carvalho
Wanderley de Mattos Teixeira Neto