Laboratório de Roteiros do Panorama

O PanLAB é o Laboratório de Roteiros do Panorama Internacional Coisa de Cinema, que em 2016 chega a sua quarta edição. É uma iniciativa voltada para roteiros de ficção baianos, promovendo um intercâmbio entre os realizadores locais e profissionais de outros estados.

Três roteiristas/cineastas apresentarão, individualmente, suas sugestões e orientações sobre os roteiros selecionados, entre curtas e longas-metragens. O objetivo é contribuir para o aprimoramento dos roteiros selecionados para que eles cheguem mais fortes na fase de produção.

Roteiros Selecionados

Curta-metragens
Balas fazem crack, de Guena
Banheiro e Primavera, de Lara Belov
Carne Negra, de Rogério Cathalá
Mãe?, de Antonio Victor Santos de Santana
Mascote, de Matheus e Perazzo
Movimentos Migratórios, de Rogério Cathalá
Sarmaga, de Jon Lewis
Sentido, de Lilih Curi

Longa-metragens
Espirral, de Pedro Perazzo
Bagaço, de Daniel Lisboa e Guilherme Sarmiento
Para o menino-bolha, de Paula Lice

Sinopses

Consultores do Laboratório de Roreiros

ALEKSEI ABIB é roteirista e script-doctor e assina os roteiros de “A Via Láctea” (46a. Semaine Internationale de la Critique, Festival de Cinema de Cannes); do documentário “O Último Kwarup Branco”; e da novela “Água na Boca”, da Band. Escreveu séries documentais e ficcionais para os canais de TV Futura, RBS e CNT. Em anos recentes, tornou-se um dos consultores de roteiro mais requisitados do país, onde contam, entre outros, o script-doctor de “ELENA”, de Petra Costa (pré-indicado ao OSCAR 2015); “De Menor”, de Caru Alves de Souza (Melhor Filme no Festival do Rio 2013); “O Último Cine Drive-In”, de Iberê Carvalho (Prêmio da Critica, Festival de Gramado, 2015); “Hoje”, de Tata Amaral (Melhor Roteiro, 44o Festival de Brasília); “Mais Forte que o Mundo", de Afonso Poyart, e o telefilme "Amor ao Quadrado", de René Sampaio. Além disso, foi consultor nas edições de 2009 a 2013 do Laboratório de Roteiros do SESC (antigo Sundance). Atuou, ainda, na mesma função para filmes em regime de coprodução internacional do antigo Depto. Internacional da produtora O2 Filmes; e como analista e instrutor de roteiros para a Rede Globo (“Profissão Repórter”, do jornalista Caco Barcellos). Atualmente, é líder do Núcleo Criativo da Produtora Pavirada, contemplada na primeira edição do Prodav 3 do FSA, 2014, e consultor do Núcleo TV Norte, do Pará , e Flô Projetos, de Goiânia, nas edições 2014 e 2015. É um dos autores do livro “Profissão Repórter", lançando em conjunto com Rede Globo pela Editora Planeta, em comemoração aos dez anos do programa.

GABRIEL MARTINS é formado pela Escola Livre de Cinema de Belo Horizonte e bacharel em Cinema e Audiovisual pelo Centro Universitário UNA. Sócio-fundador da produtora Filmes de Plástico, é roteirista e diretor dos filmes “Contagem” (prêmio de melhor direção no 43º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro), “Dona Sônia pediu uma arma para seu vizinho Alcides” (exibido e premiado em festivais internacionais como o 35º Festival Internacional du Court Métrage de Clermont-Ferrand e no International Film Festival Rotterdam), “Meu Amigo Mineiro” (vencedor da Mostra Foco na 17ª Mostra de Cinema de Tiradentes), dentre vários outros curtas e longas metragens. Como diretor de fotografia e câmera, já fez diversos trabalhos em videoclipes, curtas e longas-metragens como “Quinze” (prêmio aquisição Canal Brasil na 18ª Mostra de Cinema de Tiradentes), “Coice no Peito” (melhor curta no Festival de Cine de Caracas), “Pouco Mais de um Mês” (Illy Prize no 66º Festival de Cannes) e “Ela Volta na Quinta” (exibido no 47º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro, na 38ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo, no 26º FID Marseille, dentre outros). Como roteirista já trabalhou em projetos como a série “Vida de Estagiário”, exibida pelo Warner Channel e o longa-metragem “Alemão”, dirigido por José Eduardo Belmonte e lançado nos cinemas em 2014.

MARINA MELIANDE nasceu em 1980 no Rio de Janeiro, Brasil. Cineasta e montadora formada pela Universidade Federal Fluminense, dirigiu, em parceria com Felipe Bragança, alguns filmes exibidos em festivais internacionais: dois curtas, “Por Dentro de uma Gota D’água” e “O Nome dele (o clóvis) além da Trilogia Coração no Fogo, composta pelos longas “A Fuga da Mulher Gorila”, lançado no Festival de Locarno 2009; “A Alegria” – lançado na Quinzena dos Realizadores, Festival de Cannes 2010; “Desassossego, filme das maravilhas” - filme coletivo, lançado no Festival de Rotterdam 2011. Nos anos de 2007 a 2009, Marina foi artista residente do Centro de Arte Contemporânea Le Fresnoy (França), onde realizou duas vídeo instalações: “Lettres au Vieux Monde” e “L’Image qui reste”. Como montadora, trabalhou em mais de 40 filmes, entre eles, “Girimunho” e “Histórias que só existem quando lembradas”. Atualmente, finaliza seu primeiro longa metragem solo “Mormaço” com o suporte da Résidence da Cinéfondation (Festival de Cannes) e Hubert Bals Fund.