Competição de curtas e longas baianos, nacionais e internacionais

Homenagem 100 anos de walter silveira

Panlab III – Laboratório de Roteiros do Panorama

PanLab

Realizada pelo terceiro ano consecutivo pelo festival, a iniciativa é voltada para roteiros baianos de curta ou longa-metragem ficção e promove um intercâmbio entre os realizadores locais e profissionais de outros estados. Os roteiros selecionados serão discutidos individualmente com os consultores Marina Meliande, Aleksei Abib e Caetano Gotardo.

Em sua terceira edição, o laboratório de roteiros tem se firmado como uma atividade importante no estado. “Ao final do laboratório, os participantes demostram entusiasmo e motivação para trabalhar e aprimorar os roteiros. Isso nos motivou a manter a atividade de modo permanente a cada nova edição do Panorama”, conta a cineasta Marília Hughes, que coordena o festival ao lado do também cineasta Cláudio Marques. De acordo com eles, o objetivo é contribuir para o desenvolvimento dos roteiros selecionados a fim de que eles cheguem mais fortes na fase de produção.

Os roteiristas participantes de edições anteriores do PanLab frisam o incentivo e o suporte que o laboratório oferece a cineastas iniciantes. “O PanLab foi de grande ajuda para repensar a história de Materno e adequá-la ao que eu queria com o filme”, diz Alequine Sampaio. “A experiência de poder discutir a ideia do meu roteiro e receber um feedback dos efeitos expressivos que ele traz com algueém com experiência na área foi muito importante para mim. ”Materno foi selecionado para mostras de curta-metragem em diversos festivais brasileiros como a 18ª Mostra do Cinema de Tiradentes, o 4º Festival de Cinema Universitário de Alagoas e a Muestra de Cine Internacional de Palencia (Espanha).

O laboratório, que acontecerá na Casa-Museu Solar Santo Antônio entre os dias 31 de outubro e 03 de novembro, será realizado durante o XI Panorama Internacional Coisa de Cinema.

Conheça os três consultores do PanLab:

Marina Meliande: Nascida no Rio de Janeiro, a cineasta e montadora é formada pela Universidade Federal Fluminense. Já dirigiu, em parceria com Felipe Bragança, alguns filmes exibidos em festivais internacionais, como os curtas “Por Dentro de uma Gota D’água” e “O Nome Dele (O Clóvis)”, além da Trilogia Coração no Fogo, composta pelos longas “A Fuga da Mulher Gorila”, lançado no Festival de Locarno 2009; “A Alegria”, lançado na Quinzena dos Realizadores, Festival de Cannes 2010; e “Desassossego (Filme das Maravilhas)”, filme coletivo lançado no Festival de Rotterdam 2011. Entre 2007 e 2009, Marina foi artista residente do Centro de Arte Contemporânea Le Fresnoy (França), onde realizou duas obras de vídeo-instalações: “Lettres au Vieux Monde” e “L’Image qui Reste”. Como montadora, trabalhou em mais de 40 filmes, entre eles, “Girimunho” e “Histórias que Só Existem Quando Lembradas”. Atualmente, a cineasta prepara o projeto de seu primeiro longa metragem solo, “Mormaço”, com o suporte da Résidence da Cinefondation (Festival de Cannes) e Hubert Bals Fund.

Aleksei Abib: Roteirista, script-doctor e produtor, Aleksei assina os roteiros de “A Via Láctea” (46ª. Semaine Internationale de la Critique, Festival de Cinema de Cannes); do documentário “O Último Kwarup Branco”; e da novela “Água na Boca”, da Band.

Escreveu séries documentais e ficcionais para os canais de TV Futura, RBS e CNT. Em anos recentes, tornou-se um dos consultores de roteiro mais requisitados do país, onde contam, entre outros, o script-doctor de “Elena”, de Petra Costa (pré-indicado ao OSCAR 2015); “De Menor”, de Caru Alves de Souza (Melhor Filme no Festival do Rio 2013); “O Último Cine Drive-In”, de Iberê Carvalho (Prêmio da Critica, Festival de Gramado, 2015); “Hoje”, de Tata Amaral (Melhor Roteiro, 44 Festival de Brasília); “Órfãos do Eldorado”, de Guilherme Coelho; e o inédito longa de Afonso Poyart sobre a vida do lutador de MMA José Aldo. Além disso, foi consultor nas edições de 2009 a 2013 do Laboratório de Roteiros do Sesc (antigo Sundance). Atou, ainda, na mesma função para filmes em regime de coprodução internacional do antigo Depto. Internacional da produtora O2 Filmes; e como analista e instrutor de roteiros para a Rede Globo (“Profissão Repórter”, do jornalista Caco Barcellos).Atualmente, é líder do Núcleo Criativo da Produtora Pavirada, contemplada na primeira edição do Prodav 3 do Fsa, 2014.

Caetano Gotardo: Participando pela primeira vez do PanLab, Caetano estudou Cinema na USP. Escreveu e dirigiu oito curtas-metragens, entre os quais “Matéria” (2013), “O menino japonês” (2009) e “Areia” (2008) foram exibidos em festivais brasileiros e internacionais. Uma retrospectiva completa de seus curtas foi realizada pela Cinemateca Francesa em outubro de 2013, em Paris.

Seu primeiro longa-metragem, “O que se move”, já ganhou prêmios como os de melhor filme na Semana dos Realizadores, no Lakino – Berlim e no Cineport – Festival de Cinema de Países de Língua Portuguesa. Caetano também foi diretor do projeto coletivo “Desassossego” (2010) junto com outros cineastas de diferentes cidades brasileiras, sob coordenação de Felipe Bragança e Marina Meliande, e montou “Trabalhar Cansa” (2011), longa de Juliana Rojas e Marco Dutra. Em 2014, foi selecionado para a prestigiosa residência da Cinéfondation- Festival de Cannes, para desenvolver o roteiro de seu novo projeto de longa-metragem, “Todos os mortos”, que dirigirá em parceria com Marco Dutra, com quem integra o coletivo de realizadores Filmes do Caixote, grupo de cineastas que colaboram constantemente nos projetos uns dos outros.

Confira a lista de roteiros selecionados:

Curtas:

“A Praia”, de Pedro Maia de Brito

“Até Logo, Cavernópolis”, de Pedro Perazzo

“Flores Vermelhas”, de Érica Cristina Santos da Silva

“Outros”, de João Guerra

“O Último Assalto a Banco”, de Alexandre Guena e Rodrigo Chagas

“Vovó foi pro Céu”, de Klaus Hastenreiter

 

Longas:

“Cine Ruby”, de Clarissa de Sousa Rebouças

“O Mar que Mora em Mim”, de Matheus Vianna

“Sebastião”, de Thiago Gomes e Fábio Vidal

“O Taxista”, de Jon Lewis