Competitiva Baiana

  • 10-5-2012
    de Álvaro Andrade
    BA, 20’, Cor, Digital, 2014

    Um objeto de estudo absorve a vida de alguém ao ponto de torná-lo dependente do que se observa. No ato de se registrar os transtornos obsessivos compulsivos de um estranho, o observador se vê fascinado por aqueles gestos e atitudes repetidos à exaustão. Chega-se a um ponto em que se pergunta de quem é o transtorno e obsessão mais graves. Dele ou de seu objeto? Afinal, "quando você olha para o abismo, o abismo também olha para você". (João Paulo Barreto)

    Sessões:

    30/10 Quinta-feira 10h
    CAHL - Centro de Artes, Humanidades e Letras/UFRB

    02/11 Domingo 17h45
    Espaço Itaú de Cinema - Glauber Rocha - Sala 3
    Conversa com o diretor após a sessão

  • A DOCE FLAUTA DE LIBERDADE
    de George Neri
    BA, 71’, Cor, Digital, 2014

    O cinema invade a cidade interiorana de Liberdade, o alvoroço instala-se, as paixões exaltam-se, os moralismos acentuam-se. Mas parece que o cinema sempre esteve presente naquele lugar. Ele é a própria cidade e seus habitantes, esse emaranhado de tipos excêntricos, pulsantes. Desconcerto metalinguístico, este é um filme que preza pela anarquia, nas ruas e entre quatro paredes, nas telas e fora delas. (Rafael Carvalho)

    Sessões:

    01/11 Sábado 16h
    CAHL - Centro de Artes, Humanidades e Letras/UFRB
    Conversa com o diretor após a sessão

    02/11 Domingo 17h45
    Espaço Itaú de Cinema - Glauber Rocha - Sala 3
    Conversa com o diretor após a sessão

  • ANTIOK
    de Dario Vetere
    BA, 15’, Cor, Digital, 2014

    Em um planeta cujos avanços científicos parecem caminhar em descompasso com o aumento da sua população, haverá alguma forma de criar um equilíbrio para a vida da humanidade na Terra? Guerras genocidas e pestes são realmente a única forma de se alcançá-lo? E se pudéssemos viver para sempre? (J.P.)

    Sessões:

    30/10 Quinta-feira 10h
    CAHL - Centro de Artes, Humanidades e Letras/UFRB

    03/11 Segunda-feira 21h20
    Espaço Itaú de Cinema - Glauber Rocha - Sala 2
    Conversa com o diretor após a sessão

  • EXCULTURAS
    de Emerson Santos
    BA, 5’, Cor, Digital, 2014

    Os monumentos de Cachoeira e São Félix representados numa sinfonia de imagens fugidias. O filme parece questionar: que manifestações culturais de um povo estão expostos nas praças públicas? Quais delas tiveram esse privilégio? O lugar da arte e o lugar de um povo, preto no branco e vice-versa. (R.C.)

    Sessões:

    01/11 Sábado 19h05
    Espaço Itaú de Cinema - Glauber Rocha - Sala 3

  • MATERNO
    de Alequine Sampaio e Ruy Dutra
    BA, 18’, Cor, Digital, 2014

    Enquanto cuida de um filho em estado vegetativo, Marta vê sua nova gestação transformar-se em uma contagem regressiva. E quanto mais o tempo passa e os sinais dessa gravidez tornam-se evidentes para o mundo, ela sente que uma decisão precisa ser tomada: afinal, amor de mãe é mesmo o mais forte que existe? (Rafael Saraiva)

    Sessões:

    30/10 Quinta-feira 10h
    CAHL - Centro de Artes, Humanidades e Letras/UFRB
    Conversa com Camila Camila, diretora de arte do filme, após a sessão

    03/11 Segunda-feira 21h20
    Espaço Itaú de Cinema - Glauber Rocha - Sala 2
    Conversa com os diretores após a sessão

  • MENINO DA GAMBOA
    de Pedro Perazzo e Rodrigo Luna
    BA, 14’, Cor, Digital, 2014

    Enquanto se espelha no irmão mais velho, que trabalha como carregador das malas de turistas na Ilha da Gamboa, Gum, de nove anos, inventa uma maneira particular de ser como ele. Entre brincadeiras deixadas de lado e as obrigações auto impostas, o peso da infância parece falar mais alto na vida do garoto. (J.P.)

    Sessões:

    30/10 Quinta-feira 10h
    CAHL - Centro de Artes, Humanidades e Letras/UFRB

    03/11 Segunda-feira 21h20
    Espaço Itaú de Cinema - Glauber Rocha - Sala 2
    Conversa com os diretores após a sessão

  • NO SEU GIRO, CORPO LEVE
    de Camila Camila, Letícia Ribeiro e Ohana Sousa
    BA, 5’, Cor, Digital, 2014

    Na cidade de Cachoeira, Djalma dança. Célebre personagem local, Djalma dança. Alheio às pessoas ao seu redor, Djalma dança. Enquanto uma cacofonia de vozes tenta, sem êxito, esmiuçar seu passado e suas motivações, Djalma dança. Nas fronteiras entre a sanidade e a loucura, Djalma dança. Em seu transe muito particular de repetições, Djalma dança. (R.S.)

    Sessões:

    01/11 Sábado 19h05
    Espaço Itaú de Cinema - Glauber Rocha - Sala 3
    Conversa com as diretoras Camila Camila e Letícia Ribeiro após a sessão

  • O FILME DE CARLINHOS
    de Henrique Filho
    BA, 20’, Cor, Digital, 2014

    O sonho do cinema habita a imaginação fértil do pequeno Carlinhos. Diferente do comum, não quer ser astronauta ou jogador de futebol, mas, sim, cineasta. E fazer um filme de terror na pequena cidade onde vive é o seu passo inicial. Como escapismo para os dramas de sua vida infantil, usa a sétima arte para levá-lo além dos cadernos de escola e do pai severo. Passa os dias na locadora de vídeo, planejando o seu. Se depender de sua imaginação fértil, o filme de Carlinhos já é um sucesso. (J.P.)

    Sessões:

    30/10 Quinta-feira 10h
    CAHL - Centro de Artes, Humanidades e Letras/UFRB

    03/11 Segunda-feira 21h20
    Espaço Itaú de Cinema - Glauber Rocha - Sala 2
    Conversa com o diretor após a sessão

  • O VELHO REI
    de Ceci Alves
    BA, 10’, Cor, Digital, 2013

    Bahia e Rio de Janeiro, lá e cá, pai e filha. O pedido é direto e simples: “Pai, me conte uma história”. Junto à mensagem, uma câmera de filmar. Os registros do cotidiano, que também se torna fábula, faz diminuir a saudade, pela força da imagem a mais banal, a mais sincera e descompromissada, a mais especial. (R.C.)

    Sessões:

    30/10 Quinta-feira 10h
    CAHL - Centro de Artes, Humanidades e Letras/UFRB

    03/11 Segunda-feira 21h20
    Espaço Itaú de Cinema - Glauber Rocha - Sala 2
    Conversa com a diretora após a sessão

  • REPÚBLICO
    de Jefferson Parreira, Keu Andrade e Raquel Vasconcelos
    BA, 16’, Cor, Digital, 2013

    As relações afetivas intermediadas no espaço virtual. O bate-papo online funciona como forma de contato com pessoas desconhecidas, às vezes com a intenção de ultrapassar a simples conversa. Ali, o cineasta-personagem quer encontrar pessoas dispostas a fazerem parte de um filme. Mas o que ganham em troca? Em Repúblico, a busca metalinguística por um filme possível é também a busca pela satisfação do desejo de um corpo. Quer teclar? (R.C.)

    Sessões:

    03/11 Segunda-feira 21h20
    Espaço Itaú de Cinema - Glauber Rocha - Sala 2
    Conversa com os diretores após a sessão

  • REVOADA
    de José Umberto
    BA, 80’, Cor, Digital, 2014

    Em “Revoada”, os signos e alegorias estão por todos os lados. Não faltam referências que nos possibilitam descobrir novas camadas que não estão aparentes. O barroco está no figurino, nos gestos, tom dos atores e na exuberância do cenário. Mas, o que fica fortemente marcado para mim, no longa de Zé Umberto, é o interesse em se comunicar com o público, pois há uma história com meio, início e final bem desenhados. “Revoada” nos leva ao grupo de cangaceiros, composto por oito homens e duas mulheres, dias após a morte de Lampião. O grupo está em frangalhos e não sabe que atitude tomar. Entregar as armas? Seguir a luta e buscar vingança? O medo e os conflitos internos se instalam no grupo. A polícia e os sonhos os perseguem, no ato derradeiro do cangaço no sertão. (Cláudio Marques)

    Sessões:

    31/10 Sexta-feira 16h
    CAHL - Centro de Artes, Humanidades e Letras/UFRB
    Conversa com o diretor após a sessão

    04/11 Terça-feira 20h50
    Espaço Itaú de Cinema - Glauber Rocha - Sala 2
    Conversa com o diretor após a sessão

  • SAMBA LUMIÈRE
    de Pedro Abib
    BA, 52’, Cor, Digital, 2014

    Há décadas, o samba atravessou as fronteiras e tornou-se mundialmente reconhecido. E em Paris, trazido por brasileiros desbravadores e franceses apaixonados, o ritmo se estabeleceu, ganhando cadência e características próprias. Através de depoimentos, representantes do passado e presente do samba mostram como ele é feito na Cidade Luz. (R.S.)

    Sessões:

    01/11 Sábado 19h05
    Espaço Itaú de Cinema - Glauber Rocha - Sala 3
    Conversa com o diretor após a sessão