Premiação

COMPETITIVA INTERNACIONAL

Melhor Curta-metragem
Por tratar com sinceridade e recursos apurados de um assunto humano e político importante, o problema dos refugiados do Meio-Oriente no sul da Europa em crise, o júri concede o prémio do Melhor Curta Metragem da Competição Internacional à Xenos, de Mahdi Fleifel.

Menção Honrosa para Longa-metragem
Por nadar na contra corrente do cinema formal ultra-realista e da norma narrativa clássica, fundamentando seu filme na deformação e na reforma da linguagem o júri concede uma menção honrosa à Como Desaparecer Completamente (How to Disappear Completely), de Raya Martin.

Melhor Longa-metragem
O júri escolheu o filme Nagima como o melhor longa-metragem da Mostra Competitiva Internacional, pelo perfeito controle estético com que a diretora conduz a sua história, sobre um tema tão áspero quanto a falta de amor e a pobreza extrema, do qual faz um retrato impiedoso e comovente, com um olhar lúcido e uma narrativa precisa.

COMPETITIVA BAIANA – JÚRI APC BAHIA

Prêmio André Setaro de Melhor Filme: Revoada
O filme foi escolhido foi aquele que nos chamou atenção pela força de linguagem, arriscada e contundente, e pela autenticidade no tratamento do tema, deslocando o foco de sua narrativa dos mitos clássicos, passando à reflexão com o imaginário de luta, resistência e libertação do povo nordestino – transcendente e atemporal – que dá ao filme uma personalidade contemporânea.

COMPETITIVA BAIANA – JÚRI OFICIAL

Menção Honrosa
Poderia ficar assim: “Por se valer de múltiplas e instigantes possibilidades em sua construção, o prêmio especial do Júri vai para 10-5-2012 de Álvaro Andrade.

Melhor Filme
Se o cinema pode-se valer de belas sequências e aproveitar todas em favor da fluidez da narrativa, melhor ainda quando nos atinge com o frescor inerente à infância. É disso que foi feito O Menino da Gamboa, de Pedro Perazzo e Rodrigo Luna.

COMPETITIVA NACIONAL – JÚRI JOVEM

Menção Honrosa Curta-Metragem
Pelo seu senso de urgência, pela importância do registro da denúncia e pela potência e comoção que gera no público, o Júri Jovem concede menção honrosa ao curta-metragem Mater Dolorosa, de Tamur Aimara e Daniel Caetano.

Prêmio João Carlos Sampaio de Melhor Curta-Metragem
Pela sutileza e sensibilidade retratada no seio de uma relação cotidiana, pela tendência naturalista reforçada pelas atuações de suas atrizes protagonistas, o Júri Jovem concede o Prêmio João Carlos Sampaio para o curta-metragem Quinze, de Maurílio Martins.

Prêmio João Carlos Sampaio de Melhor Longa-Metragem
Pelo poder de síntese de uma realidade histórica em fluxo, por uma construção simbólica precisa, desafiadora e ousada, através de uma estética coerente com sua proposta, o Júri Jovem concede o Prêmio João Carlos Sampaio para o longa-metragem Brasil S/A, de Marcelo Pedroso.

PRÊMIO INDIELISBOA

Curta-metragem: Quinze, de Maurílio Martins
Longa-metragem: Ela Volta na Quinta, de André Novais

PRÊMIO FICUNAM

Ela Volta na Quinta, de André Novais

COMPETITIVA NACIONAL – JÚRI OFICIAL

Prêmio Especial do Júri | Curta-metragem
Pelo trabalho de suas atrizes e pela capacidade do diretor de criar uma potência visual intensa e poética, o Prêmio Especial do Júri vai para Quinze, de Maurílio Martins.

Melhor Curta-metragem
Pelo domínio da linguagem do cinema em toda sua potencialidade, incluindo um rico uso do som como elemento dramático, o prêmio de melhor curta-metragem vai para Sem Coração, de Nara Normande e Tião.

Prêmio Especial do Júri | Longa-metragem
Por conseguir articular um olhar ao mesmo tempo crítico e afetuoso sobre uma família em processo de bancarrota econômica, o Prêmio Especial do Júri vai para Casa Grande, de Fellipe Barbosa.

Melhor Longa-metragem
Por sua capacidade de nos fazer mergulhar no ritmo e na pulsação do cotidiano de uma família, pela justeza do uso dos planos e da música, e pelo entendimento do cinema e da fabulação como ferramentas poéticas de intervenção no real, o prêmio de melhor filme vai para Ela Volta na Quinta, de André Novais.